Governo do Piauí realizará 17 mil cirurgias eletivas até o fim de 2022

A estratégia contempla procedimentos nas especialidades ortopedia, oftalmologia, cirurgia geral e pediátrica

Governo do Piauí realizará 17 mil cirurgias eletivas até o fim de 2022. Foto: reprodução

 Governo do Piauí realizará 17 mil cirurgias eletivas até o fim de 2022. Foto: reprodução

Dezessete mil piauienses que esperam por um procedimento cirúrgico serão atendidos até o fim de 2022. Para intensificar o atendimento a essas pessoas e diminuir o tempo de espera por um procedimento especializado nas áreas de oftalmologia, ortopedia, cirurgia geral e pediátrica, o Governo do Estado lançou, nesta quarta-feira (29), em solenidade no Palácio de Karnak, o Mutirão de Cirurgias Eletivas 2022.

A ação será executada pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi) e recebe recursos de emendas parlamentares. O mutirão faz parte do projeto ‘Estratégia de Ampliação do Acesso aos Procedimentos Cirúrgicos Eletivos – 2022’ e foi aprovado em reuniões da Comissão Intergestora Bipartite do Piauí (CIB-PI).

De acordo com o secretário de Estado da Saúde, Neris Junior, ao todo, 17 mil pacientes serão atendidos por meio da estratégia, com a realização de 12 mil cirurgias de catarata e 5 mil procedimentos em diversas especialidades, como ortopedia, geral e pediátrica. “São 19 hospitais que estão preparados com os mais modernos equipamentos e profissionais qualificados para fazer esse tipo de procedimentos. Vamos fazer cirurgias em determinadas especialidades que não são da rotina diária dos hospitais para diminuir a fila de espera por procedimentos dessa natureza. Dessa forma, estaremos descentralizando cada vez mais as ações de saúde, levando atendimento às mais diversas regiões e cidades do Piauí”, destaca o gestor.

A governadora Regina Sousa destaca que este é um esforço do governo no sentido de dar vazão a uma demanda existente que foi represada no período mais crítico da pandemia em que os atendimentos foram exclusivos para pacientes com a Covid-19. “Vamos também intensificar os atendimentos de consultas especializadas, olhando todos os setores da saúde, acelerando e dando vazão à fila de regulação por atendimentos em saúde de especialidades médicas específicas. Esperamos até o fim do ano dar vazão à essa demanda e que o tempo de espera da fila da Regulação Estadual para cirurgia eletiva possa ser reduzido”, assinalou a gestora.

Uma das unidades que integra a ação é o Hospital Estadual Dr.  Júlio Hartmann, na cidade de Esperantina, que é referência para 13 municípios da região dos Cocais. O diretor do hospital, Luis Carlos Alves, diz que, por meio da ação, o Júlio Hartmann vai duplicar os atendimentos cirúrgicos, com a realização de uma média de 70 cirurgias por mês. “A demanda é pela parte de oftalmologia, com cirurgias de catarata, como também a área de cirurgia geral, com cirurgias de hérnia, vesícula, já que temos uma fila de espera por esses tipos de procedimentos”, completou o diretor.

O superintendente de Gestão da Rede de Média e Alta Complexidade da Sesapi, Alderico Tavares, comenta que o intuito do governo é interiorizar a saúde, levar cirurgias aos principais hospitais do Estado e desafogar o HGV em Teresina. “É uma meta desafiadora, mas nos sentimos muito orgulhosos em poder oferecer o melhor serviço, bons profissionais e equipamentos de ponta para a realização de cirurgias em várias cidades”, complementou o gestor.

Mais de SAÚDE